A fonte do seu e-mail está acabando com a sua vida, ou quase isso…

Por Rebecca Greenfield
(SÃO PAULO) – Bem, talvez não com a sua vida. Mas, sem dúvida, com a sua reputação com as pessoas de bom gosto. Helvetica, a fonte moderninha preferida pelas marcas e pelos amantes da tipografia, é a que vem predefinida no Apple Mail. A fonte padrão do Gmail é Arial, que já foi chamada por um designer de “filha bastarda e feia” da Helvetica. Se o navegador não for compatível com Arial, o Gmail substitui por Helvetica. Embora a Helvetica seja adorada pelos fanáticos de design por ser neutra, a sua uniformidade e o seu espaçamento inconsistente dificultam a leitura de grandes blocos de texto. “As letras ficam muito juntinhas”, disse Nadine Chahine, designer de fontes da Monotype. “Isso deixa ela apertada demais”.

Arial, assim como Helvetica, tem o que os designers de fonte chamam de formatos de letra “ambíguos”, que dificultam a análise de muitas palavras seguidas. “Pense nas letras b, d, p e q, que são as que as crianças sempre confundem. Elas são formas espelhadas umas nas outras”, disse o
designer de fontes Bruno Maag. “Essa característica é enfatizada em uma fonte como Arial, em que os formatos são literalmente formas espelhadas”.
Podem parecer nuances, mas tanto com Arial quanto com Helvetica fica mais difícil de ler quando as palavras estão unidas em grandes blocos de texto e você está lendo muitos emails. E você sempre está. Nos EUA, as pessoas passam quase um terço da semana de trabalho verificando e lendo emails. Em uma semana de 40 horas de trabalho isso equivale a mais de 11 horas por semana de leitura de comunicações online em fontes que não estão ajudando os seus olhos.

Os emails “clientes” – os programas que você usa para ver suas mensagens, como Gmail, Apple Mail e Outlook – tendem a preferir as fontes sem serifa, em que as letras não têm pequenos traços no fim das hastes, como Helvetica, Arial e Calibri, que é a fonte padrão do Microsoft Outlook. (Gmail, Outlook e Apple Mail são os três clientes de email para computador mais populares, de acordo com um estudo feito com mais de 1 bilhão de emails.)
“Antigamente, até há relativamente pouco tempo, a maioria dos dispositivos de leitura em um ambiente corporativo não tinha uma tela com uma resolução muito alta”, disse o tipógrafo Gerry Leonidas. As fontes mais simples, que não contêm todos os detalhes e elementos de design das que vêm com serifas, eram reproduzidas mais claramente naqueles monitores de baixa resolução. Entretanto, “nos últimos quatro ou cinco anos, temos uma resolução consideravelmente maior que oferece espaçamento bom, separação clara e os caracteres não ficam borrados”, disse Leonidas. Portanto, os
clientes de email já não precisam usar fontes sem serifas.

Legibilidade
O segredo de uma boa fonte é a legibilidade, uma combinação de velocidade, compreensão, conforto e uma espécie de aceitação emocional da fonte. O formato com que as fontes são moldadas, o espaço entre elas e os espaços dentro das letras em si definem o quanto será fácil ler algo.
“Ao ler, nós não lemos letra por letra”, disse José Scaglione, criador da Literata, uma fonte personalizada para os livros do Google Play. “Nós reconhecemos um grupo de letras e reconhecemos a interação que existe entre o preto e o branco”. Bookerly, a nova fonte criada por Maag para o Kindle, é uma fonte com serifa, que muitos acreditam que é melhor para ler longos blocos de texto, embora haja diversos debates e pesquisas conflitantes sobre seus méritos em relação às fontes sem serifa. “O formato de cada caractere é bastante único”, disse Maag referindose
a Bookerly. “Isso cria um formato de palavra harmônico e variado”. De acordo com testes internos da Amazon, a leitura da Bookerly é 2 por cento melhor do que a das fontes anteriores em termos de velocidade, compreensão e aceitação emocional, disse Maag. Talvez tenha chegado a hora de os clientes de email modificarem as configurações padrão. “Eu acredito que as organizações podem realmente melhorar a vida das pessoas especificando fontes melhores, o que vai naturalmente ter um efeito sobre o modo em que você lê seus emails”, disse Maag.

Melhor ainda, que tal oferecer às pessoas uma Bookerly para emails?
“Na teoria, sim. Uma fonte específica para ler emails seria possível”, disse Scaglione. Pode começar a sonhar.

Fonte: http://www.infomoney.com.br/bloomberg/tecnologia/noticia/4185767/fonte-seu-mail-esta-acabando-com-sua-vida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *